Reino Unido apoia serviços de ferries

Os serviços de ferries estão também a sofrer com a Covid-19

O governo britânico vai apoiar os operadores de ferries que garantem o abastecimento ao país e as ligações à Europa continental.

O Departamento de Transportes (DfT) do Reino Unido anunciou um pacote de 27,5 milhões de libras (31,4 milhões de euros) de apoio aos operadores dos ferries  entre a Grã-Bretanha e a Irlanda do Norte, a Ilha de Wight e as Ilhas Scilly.

A medida foi anunciada pelo DfT dias após uma disputa entre a P&O Ferries e a Peel Ports  (que opera o porto de Liverpool) sobre uma factura por pagar de 600 mil libras (quase 685 mil euros) que levou à apreensão de uma embarcação da companhia, originando receios sobre uma quebra de capacidade de transporte marítimo de mercadorias no mar da Irlanda.

O DfT explica que o apoio agora anunciado garante “o fluxo de bens e o funcionamento de serviços sem problemas de e para o Reino Unido e em todo o país durante a pandemia”. Os fundos estão disponíveis de imediato e dividem-se entre 17 milhões de libras (19,4 milhões de euros) para operadores de serviços entre a Grã-Bretanha e a Irlanda do Norte e 10,5 milhões de libras (12 milhões de euros) para as ligações aos arquipélagos de Wight e Scilly.

“Os ferries são uma ferramenta essencial para garantir que os abastecimentos de bens críticos continuem a ocorrer, mas, como muitos outros sectores, foram duramente atingidos pelo surto [de Covid-19]. O reconhecimento de hoje da importância crucial do transporte marítimo para as economias da Irlanda do Norte e da Grã-Bretanha não pode ser subestimado, e o muito necessário financiamento reforçará essas importantes rotas de ferries”, refere Seamus Leheny, responsável de políticas da Irlanda do Norte na  associação empresarial britânica FTA.

O DfT informou que haverá “mais apoios a rotas críticas entre o Reino Unido e o continente europeu”, com 26 rotas, incluindo o Eurotunnel, a serem elegíveis para o efeito.

“Os abastecimentos essenciais continuam a funcionar bem, mas os operadores estão a enfrentar desafios, pois menos pessoas a viajarem significa menos capacidade para transportar mercadorias. Esta acção ajudará a garantir que todas as partes do Reino Unido têm a capacidade de que precisam”, afirmou o secretário de transportes do Reino Unido, Grant Shapps.

 

 

Inserir um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Translate »